Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Textos de apoio das aulas do 8º Ano - I

por Mäyjo, em 26.02.09

Os textos que colocarei aqui à vossa disposição são aqueles que deram origem aos PowerPoint que irão ver nas próximas aulas, sobre as Áreas de fixação humana.

 

A DIFERENCIAÇÃO DOS LUGARES

Espaço ocupado de formas diferentes!

Nuns sítios… há muita gente, muitas casas, muitos automóveis... noutros... o verde ainda é a cor dominante!

 

No nosso planeta há áreas que:

·   exercem maior atracção sobre a população e onde, por isso, o valor da densidade populacional é mais elevado;

·   têm condições naturais adversas e aí os grupos humanos, pouco numerosos, fazem, por vezes, uma vida nómada.

 

Entre estes dois extremos de densidade populacional existem várias formas de fixação humana, mas as duas que habitualmente se consideram como mais significativas são:

·   As cidades, onde a grande concentração de pessoas condiciona a organização do espaço urbano; daí que, em todas elas, a paisagem urbana seja semelhante e fortemente marcada pela intervenção do Homem.

Cidade: aglomerado populacional de certa importância onde as pessoas se ocupam essencialmente na indústria, no comércio e nos serviços.

Paisagem urbana: organização do espaço correspondente às áreas ocupadas pelas cidades.

 

Independentemente da área onde se localiza a cidade, seja junto ao mar, à beira de um rio ou no sopé de uma montanha, ela apresenta:

ü      edifícios de vários andares

ü      ruas que se cruzam em várias direcções

ü      praças onde convergem várias ruas

ü      forte concentração e diversidade de actividades.

 

Campo: designação vulgarmente atribuída às áreas rurais onde a actividade predominante é a agricultura.

O campo que se caracteriza por:

• construções mais ou menos dispersas de um ou dois pisos, que formam as aldeias;

• predomínio das actividades ligadas à Natureza;

• aproveitamento turístico de determinados lugares;

• implantação de algumas indústrias.

Aldeia: pequeno aglomerado de casas, que podem formar um núcleo contínuo ou estar dispersas no meio da floresta ou dos terrenos agrícolas.

 

A paisagem rural,

Paisagem rural: organização do espaço correspondente a áreas onde predominam as actividades ligadas à agricultura, embora também existam actividades turísticas e algumas indústrias e onde estão inseridas povoações mais ou menos dispersas. Opõe-se ao espaço urbano.

característica do campo, ao contrário da paisagem urbana, pode apresentar aspectos muito diversificados, porque é sobretudo o reflexo das actividades dominantes:

• exploração florestal;

• criação de gado;

• agricultura;

que são fortemente condicionados pelos características naturais, em particular:

• relevo, que pode ser mais ou menos acidentado;

• clima.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:41

Os power point das aulas do 9º Ano (continuação II)

por Mäyjo, em 11.02.09

Como chegar ao desenvolvimento

Sumário:

                Iniciativas que promovem o desenvolvimento

                A ajuda internacional aos países pobres.

 

Apesar das dificuldades é possível “gerar” desenvolvimento.

Medidas a aplicar pelos próprios PED:

          Implementar indústria com tecnologia própria (mais simples), recursos e mão-de-obra locais

          Cultivar espécies autóctones para consumo próprio e desenvolver técnicas de armazenagem (evitar importar), em vez de exportar, pois dá poucos lucros

          Apostar no turismo que gera empregos (em vez de esperar pelas multinacionais que exploram a mão-de-obra)

          Diminuir a fecundidade e não só a mortalidade (aumento mais lento da população)

          Aumentar o nível de instrução da população (proibir o trabalho infantil e diminuir o analfabetismo nos adultos)

          Permitir acesso igual de todos os grupos sociais aos serviços básicos: educação, saúde, água potável, saneamento básico

          Desenvolver os transportes e as comunicações (construir infra-estruturas que abranjam todas as regiões)

Com estas medidas, os ped vão conseguir:

          Gerar riqueza própria, aumentar o consumo, garantindo uma melhor qualidade de vida

          Diminuir a dependência relativa aos PD, evitando o endividamento (reembolso da dívida e juros)

 

Quando falham as iniciativas internas a solução tem que ser outra!

Por falta de condições ou iniciativas, alguns países têm necessidade de ajuda exterior que pode ser dada por diferentes grupos, de várias formas:

          Pelas ONG => orientação de projectos que melhoram as condições de vida das populações (OIKOS, AMI, Leigos para o Desenvolvimento…)

 

          Pelas instituições de crédito => (Banco Mundial e FMI) que apoiam em situações de emergência (guerras, catástrofes naturais) e por períodos longos ou outras instituições como a UNICEF, FAO…

          Voluntariado

          Tomada de posição de instituições ou do público, face a produtos vindos dos países mais pobres

Com estas medidas consegue-se:

          Suprir a falta de assistência médica

          Diminuir a falta de professores

          Melhorar as condições de habitação e a falta de higiene

          Atenuar a malnutrição e a subnutrição, ou mesmo matar a fome

Mas também há obstáculos:

          Deficientes meios de transporte (não chegam aos mais isolados e pobres)

          A ajuda nem sempre tem em conta as necessidades e características da população

          Muitos países doadores impõem condições (políticas e económicas)

          Interesses políticos desviam parte da ajuda para o armamento (corrupção)

Portugal manifesta solidariedade com outros povos de várias formas:

          Contribuindo para instituições que apoiam o desenvolvimento mundial

          Acolhendo imigrantes vindos de PED ou que atravessam crises económicas

          Colaborando em missões de paz no estrangeiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:51

Proposta de resolução do teste do 9º Ano - turma A e F

por Mäyjo, em 09.02.09

 

GEOGRAFIA

Proposta de correcção do 3º teste de avaliação 9º Ano

Teste 1 – Abril 2009

 

 

 

 

 

 

1.1- Taxa de alfabetismo, Despesas na saúde (em % do PIB), N° habitantes /médico, N° de jornais /100 habitantes…

1.2- Taxa de mortalidade Infantil – número de crianças que morrem com menos de um ano de idade em cada 1000 crianças que nascem, durante um ano.

Esperança Média de Vida – número médio de anos que uma pessoa tem probabilidade de viver.

1.3- Taxa de mortalidade Infantil – Exprime directamente a situação económica e social de um país, através da assistência médica, medicamentosa e higiene pré e pós-natal.

 

2.1-   

A:

Desenvolvido  

B:

Em desenvolvimento  

C:

muito desenvolvido

 

2.2-

A – Itália, França, Grécia…

 

B – Angola, Moçambique… (países africanos)

 

C – EUA, Alemanha, Suécia…

2.3-

A – Europa

B – África

 

               

 

3.1- Índice de desenvolvimento humano.

3.2- PIB/ hab; Esperança Média de Vida (EMV); taxa de alfabetização.

3.3- Portugal é um país com IDH elevado pois está (comparativamente aos restantes da tabela) mais próximo dos primeiros, muito acima do meio da tabela.

 

4.1- Porque a riqueza pode não ser aplicada de modo a melhorara a vida de todas as pessoas e apenas de forma a gerar mais dinheiro.

 

5.1-

Meninos

País

Continente

Educação

Esperança de vida

Tom

Suécia

Europa

Plena

80 anos

Bo

Serra Leoa

África

Ausência

40 anos

 

5.2- O Tom tem uma boa condição de vida e tem acesso a tudo o que deseja; o Bo tem grandes dificuldades de vida e difícil acesso aos bens essenciais. (Podiam ser referidas diferenças relativas a: esperança de vida, alimentação/peso, condições de vida/habitação, escolaridade, rendimento…)

 

6.1- O crescimento económico é inferior ao crescimento demográfico.

6.2- A África e a Ásia do Sul.

6.3- A acção pela qual as pessoas compram e utilizam os bens e serviços que existem no mercado.

6.4- Existe a capacidade de o indivíduo seleccionar e ter acesso a todos os bens e serviços que lhe são indispensáveis.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:02

Mensagem para os meus amigos ... neste espaço e não só!

por Mäyjo, em 08.02.09

Estava a surfar por este imenso mar de informação quando me deparei com esta mensagem e não consegui resistir a colocá-la aqui.

Dedico-a aos meus amigos, que visitam este espaço com tanto carinho e dedicação.

A eles o meu obrigado! Eles fazem com que valha a pena manter este espaço vivo.

 

 

in: calzynha.flogbrasil.terra.com.br

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:19

A melancolia de uma cibernauta na blogosfera...

por Mäyjo, em 08.02.09

Vou desistir de saber quem está on-line comigo. Sempre que tento não tenho sucesso!

Acho que ninguém liga para quantos estão on-line consigo.

Só eu, gostava de saber quem são!!!

 

Mas quando tento, ninguém me responde!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:53

Os power point das aulas do 9º Ano (continuação)

por Mäyjo, em 07.02.09

O que impede o desenvolvimento?

Sumário:

            Obstáculos políticos e económicos ao desenvolvimento.

                A interdependência entre os diferentes espaços.

                O comércio internacional e a dependência externa.

 

Grandes questões:

Ò      Que condições impedem que todos os países tenham acesso ao desenvolvimento?

Ò      O que é possível fazer para ajudar os países menos desenvolvidos?

Ò      Como combater os “excessos” do desenvolvimento?

Causas antigas

Ò      Motivos de ordem histórica

Ò      Razões de ordem cultural

Causas actuais

Políticas

Ò      Instabilidade social e política => Guerra civil e focos de guerra entre países

Ò      Marcas que ficam, mesmo quando vem a paz (p.e. minas)

Ò      Regime político que pode condicionar o nível de vida da população

 

Económicas

Ò      Diferente valorização das matérias-primas exportadas

Ò      Grande dívida externa

(impede o investimento em benefícios para a população, pois têm de pagar os juros e a dívida)

Ò      As regras do comércio mundial que penalizam os PED

Ò      Investimento reduzido

Ò      Falta de mão-de-obra qualificada e de tecnologia

Ò      Crescimento lento das actividades económicas

Ò      Grande dependência externa

Ò      Termos de troca desfavoráveis

Sociais

Ò      Desequilíbrio entre o aumento da população e o da produção alimentar => subalimentação e fome

Ò      Persistência de grande número de pessoas infectadas por doenças nos PED => SIDA, p.e.; essas pessoas não produzem riqueza e são uma sobrecarga para o sistema

Ò      Analfabetismo e fraca formação técnica e profissional

 

Situação de dependência económica dos ped deve-se a:

É      Necessário explorar grande quantidade de matérias-primas para poder importar produtos transformados

É      Multinacionais controlam centros económicos

É      Degradação dos termos de troca *

É      Variação dos preços das matérias-primas (bolsas nos PD)

É      PD controlam o mercado financeiro internacional

É      Pouca capacidade interna de produção

 

Termo de troca =Preço das exportações/ preço das importações

Ò      Favorável: com a mesma quantidade de exportações conseguem comprar mais.

Ò      Desfavorável: com a mesma quantidade de exportações compram menos.

 

Para que se desenvolvam precisam de:

Ò      Crescimento económico superior ao crescimento demográfico

Ò      Exploração equilibrada dos recursos naturais (sustentável)

Ò      Mão-de-obra qualificada

Ò      Capital para investir no sector económico e social

Ò      Abertura dos mercados para facilitar as trocas

Ò      Investir na tecnologia para aumentar a produtividade

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:49

Proposta de correção da prova de recuperação - 10º Ano

por Mäyjo, em 06.02.09

GRUPO I

Minerais metálicos

Minerais não metálicos

Minerais energéticos

Ferro

Cobre

Estanho

Volfrâmio

Sal-gema

Diatomito

Quartzo

Talco

Carvão

Petróleo

Gás natural

Urânio

 

GRUPO II

1. Alentejo e Norte.

2. Norte — pedreiras;  Centro — águas;  Lisboa e Vale do Tejo — pedreiras;  Alentejo — pedreiras; Algarve — pedreiras.

3. Referir 3 problemas da lista que se segue: condições de acessibilidade das minas; dimensão das empresas; agravamento dos custos de exploração; dificuldade de exploração e de prospecção; paralisação de algumas explorações mineiras; aumento do desemprego; desestabilização dos mercados; concorrência de outros países; impacte ambiental.

 

GRUPO III

1. A     2. D     3. B      4. C      5. A

 

GRUPO IV

1. As águas minerais naturais são bens do domínio público do Estado enquanto que as águas minerais de nascente são bens do domínio privado.

2. Águas naturais — norte e centro; águas de nascente — centro.

3. Distinguem-se dois ritmos de crescimento no consumo de água em Portugal. Entre 1987 e 1993 verificou-se um crescimento ligeiro de 27 para 41 litros por habitante/ano, enquanto que entre 1993 e 1999 o crescimento foi mais acentuado, atingindo os 73 litros por habitante/ano. Este rápido aumento do consumo de água ficou a dever-se especialmente às águas minerais naturais.

4. Referir os seguintes aspectos:

— maior preocupação pela qualidade da água;

— desenvolvimento da indústria da água engarrafada;

— maior consciência dos problemas de saúde pública.

 

GRUPO VI

1. Energia eólica, energia solar, biogás, biomassa, energia hídrica, energia geotérmica e energia das ondas e marés.

2. Referires seguintes aspectos:

— precipitação abundante e declives mais acentuados no norte e no centro — condições para a produção de energia hidroeléctrica;

— um terço do país é constituído por áreas florestais — condição para a produção da biomassa;

— manifestações de vulcanismo secundário nos Açores — condição para a produção de energia geotérmica;

— ventos constantes de oeste na costa ocidental e áreas de elevada altitude — condição para a produção de energia eólica;

— posição geográfico e insolação elevada — condições para a produção de energia solar;

— costa com mais de 800 km de extensão — condição para a produção de energia maremotriz;

— apesar das potencialidades, a implementação destas energias exige elevados custos nos equipamentos.

3. Referir os seguintes aspectos:

— utilização racional da energia, com recurso a equipamentos de eficiência energética cada vez maior;

— exploração de novos processos, materiais e tecnologias;

— utilização de fontes de energia que permitam reduzir as emissões de CO2 e de outros gases causadores do efeito de estufa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:27

Quem está aí?

por Mäyjo, em 06.02.09

2ª Tentativa! Quem está ai juntamente connosco?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:35

Proposta de resolução do teste do 9º Ano - turma G

por Mäyjo, em 06.02.09

 

GEOGRAFIA

Proposta de correcção do 3º teste de avaliação 9º Ano

Teste 3 – Fevereiro 2009

 

 

 

 

 

 

1.1- Produto nacional bruto.

1.2- É a riqueza (valor do conjunto de bens e serviços) criada por todos os nacionais de um país, durante um ano.

1.3- O PNB não é suficiente para medir o desenvolvimento de um país: para haver desenvolvimento é necessário que haja riqueza (dinheiro) mas a existência ou não de desenvolvimento, vai depender da forma como esse dinheiro é aplicado, pois terá que se traduzir numa melhoria da vida da generalidade das pessoas.

1.4- Taxa de alfabetismo, despesas na saúde (em % do PIB), N° habitantes /médico, N° de jornais /100 habitantes…

1.5- Considerou-se que o conceito de desenvolvimento deve integrar aspectos de natureza quantitativa e qualitativa, e como nem sempre é fácil saber o valor dos mesmos indicadores em todos os países, criou-se um indicador para avaliar e comparar o desenvolvimento entre países – o IDH, índice de desenvolvimento humano.

 

2.1- desenvolvimento é um processo que permite a melhoria de vida das pessoas;

2.2- desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento que assegura as necessidades das gerações presentes sem empenhar as eventuais necessidades das gerações futuras.

 

3- Geralmente, quanto mais elevado for o valor do PIB, maiores serão as possibilidades de consumo da população, pois é o rendimento que permite esse mesmo consumo.

 

4- Não é possível haver desenvolvimento sem crescimento.

 

5- O rendimento não é a essência da vida das pessoas na medida em que apenas permite a satisfação das necessidade básicas, a qualidade de vida de cada um vai depender da forma como esse rendimento é aplicado. Uma pessoa pode ter um rendimento “baixo” mas sentir-se realizada e feliz, pois há outras dimensões na qualidade de vida que não são acessíveis através do dinheiro: felicidade, liberdade…

 

6.1- Ausência de desenvolvimento.

6.2- A imagem não mostra quais quer elementos físicos associados ao desenvolvimento (burro como meio de transporte) e o texto evidencia que as mulheres não têm os mesmos direitos que os homens.

6.3- Ás afegãs não lhes é permitido: “efectuar qualquer trabalho fora de casa”, sair à rua sozinhas e sem usar a burka, andar de saltos. As mulheres portuguesas têm os mesmos direitos dos homens.

6.4- Portugal, comparado com o Afeganistão, é um país desenvolvido.

 

7.1- O crescimento económico é inferior ao crescimento demográfico.

7.2- Fomes e subnutrição.

7.3- A África e a Ásia do Sul.

7.4- A acção pela qual as pessoas compram e utilizam os bens e serviços que existem no mercado.

7.5- Existe a capacidade de o indivíduo seleccionar e ter acesso a todos os bens e serviços que lhe são indispensáveis.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:00

Proposta de resolução do teste do 9º Ano - turma E

por Mäyjo, em 03.02.09

 

GEOGRAFIA

Proposta de correcção do 3º teste de avaliação 9º Ano

Teste 2 – Abril 2009

 

 

 

 

 

 

1.1-  Taxa de alfabetismo, Despesas na saúde (em % do PIB), N° habitantes /médico, N° de jornais /100 habitantes…

1.2-  Taxa de mortalidade Infantil – número de crianças que morrem com menos de um ano de idade em cada 1000 crianças que nascem, durante um ano.

Esperança Média de Vida – número médio de anos que uma pessoa tem probabilidade de viver.

1.3-  Taxa de mortalidade Infantil – Exprime directamente a situação económica e social de um país, através da assistência médica, medicamentosa e higiene pré e pós-natal.

 

2.1- Índice de desenvolvimento humano.

2.2- PIB/ hab; Esperança Média de Vida (EMV); taxa de alfabetização.

2.3- Portugal é um país com IDH elevado pois está (comparativamente aos restantes da tabela) mais próximo dos primeiros, muito acima do meio da tabela.

 

3.1- O nível de vida refere-se ao grau de satisfação das necessidades da população.

3.2- O nível de vida está normalmente associado a um aumento do consumo, logo quanto maior for o rendimento disponível, maior poderá ser o consumo.

3.3- O aumento do consumo poderá conduzir a excessos: desperdícios, problemas de excessos alimentares como alimentação demasiado calórica, lixo, poluição…

3.4- Porque tem uma dimensão pessoal e psicológica: inclui aspectos que variam de pessoa para pessoa, como a realização pessoal, integração social, sentimento de felicidade, etc.

 

4- Porque pode-se criar mais riqueza e haver mais dinheiro, mas esse dinheiro pode não ser investido correctamente, de modo a levar a uma melhoria de vida da população e conduzir ao desenvolvimento.

 

5- Nos países em desenvolvimento existem (alguns) problemas no que respeita à saúde, pois é difícil ter acesso a esses cuidados. Nestes países, a carência de água potável e as características climáticas (não) influenciam as condições de saúde das pessoas. Existem também algumas pessoas que estão subnutridas e outras morrem de fome.

 

6.1- O crescimento económico é inferior ao crescimento demográfico.

6.2- Fomes e subnutrição.

6.3- A África e a Ásia do Sul.

6.4- A acção pela qual as pessoas compram e utilizam os bens e serviços que existem no mercado.

6.5- Existe a capacidade de o indivíduo seleccionar e ter acesso a todos os bens e serviços que lhe são indispensáveis.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:58

Pág. 1/2



Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D